Please use this identifier to cite or link to this item: http://tede.udesc.br/tede/tede/856
metadata.dc.type: Dissertação
Title: Laboratório no museu: práticas colaborativas dentro de instituições de arte
metadata.dc.creator: Sulzbacher, Tatiana Cavalheiro
metadata.dc.contributor.advisor1: Melim, Regina
metadata.dc.description.resumo: Durante as décadas de 1960 70, o Museu de Arte Contemporânea da Universidade de São Paulo (MAC/USP), sob a direção do prof. Walter Zanini, serviu de espaço para a experimentação de diversas linguagens artísticas. Entre as inúmeras atividades realizadas pelo diretor Walter Zanini, está a sua participação na Conferência Internacional de Museus e Coleções de Arte Moderna no Colóquio Brasileiro de História da Arte, em 1972, em Krakow, Polônia, onde debateu sobre a função de um museu; o contato permanente com diversas instituições de arte fora de nosso país; o incentivo na produção de videoarte num período em que ainda não havia câmeras portáteis disponíveis no mercado brasileiro e, sem dúvida, a série de exposições que incentivou e apoiou nos anos de sua gestão, destacando-se as JACs Jovem Arte Contemporânea . Esta série de exposições, principalmente a VI JAC, em 1972, funda um período de mudanças no MAC/USP, onde o diretor e professor Walter Zanini, os artistas e seus alunos da ECA/USP tiveram a oportunidade de refletir coletivamente os processos de produção desenvolvidos naquele espaço. Além da VI JAC e outras exposições como Prospectiva 74 (1974), Poéticas Visuais (1977) e 7/4/1972 Acontecimentos, a década de 1970 foi marcada, sobretudo no MAC/USP, por intensa exploração dos múltiplos canais de comunicação tecnológica. A arte transformou-se em um veículo acima de sua função estética durante o período da ditadura militar, e esta instituição se tornou um lugar de referência para artistas da América Latina e do Leste Europeu, assim como da Europa e dos Estados Unidos. Fora do Brasil, outros diretores e curadores de museus também estiveram transformando o espaço de instituições de arte em um laboratório de experimentações, como foi o caso do sueco Pontus Hulten em Poetry Must Be Made By All (1969) e Utopians e Visionaries 1970 1981 (1971), e do suíço Harald Szeemann em When Attitude Become Form (1969). No intuito de trazer para a atualidade questões que são referentes à disponibilidade de instituições de arte em repensarem e reestruturarem-se para receberem práticas artísticas processuais, apresentamos algumas propostas de artistas e de curadores refletindo a função do museu hoje. A abordagem do conceito de cubo branco de Brian O Doherty foi aqui contraposta à ideia de um museu equipado , que atende às práticas artísticas experimentais. Arquivo vivo , Lugar laboratório , Outros espaços como extensão do museu e Espaços de colaboração são denominações que foram desenvolvidas a partir da reflexão e análise dos processos artísticos e curatoriais presentes neste trabalho, e que tendem a redimensionar o papel que uma instituição de arte deveria desempenhar. Entre as práticas abordadas atualmente, no Brasil, ressaltamos o trabalho que foi desenvolvido no período de 2006 a 2010 pelo diretor do Centro Cultural São Paulo (CCSP), Martin Grossmann, bem como a criação e coordenação do Fórum Permanente: Museus de arte: entre o público e o privado , ambos, iniciativas que buscam ampliar o conceito de museu como laboratório de experiências, encontro, debate e socialização da arte
Abstract: During the1960 s and 1970 s, the Museum of Contemporary Art of São Paulo (MAC/USP), directed by Prof. Walter Zanini worked as a space for experimentation of various artistic languages. Among the numerous activities carried out by the director Walter Zanini, was his participation in the International Conference of Museums and Collections of Modern Art in 1972, in Krakow, Poland, where he discussed the role of a museum and the permanent contact with various art institutions outside Brazil, promoting the production of video art when portable cameras were not yet commercially available in Brazil and, especially the various exhibitions that he encouraged and supported in the years of his administration, such as the JACs Jovem Arte Contemporânea (Young Contemporary Art). These series of exhibitions, remarkably the VI JAC in 1972, established a period of changes in the MAC/USP, where the director and teacher Walter Zanini, together with the artists and his students from ECA/USP, had the opportunity to collectively reflect upon the production processes developed in that space. Besides the VI JAC, other exhibitions such as Prospectiva 74 (Prospective, 1974), Poéticas Visuais (Visual Poetics, 1977) and 07/04/1972 Acontecimentos (Happenings, 1972) marked the 1970 s, especially at the MAC/USP, by an intense exploration of the multiple channels of communication technology. Art became a vehicle above its aesthetic function during the period of military dictatorship, and the institution became a reference place for artists from Latin America and Eastern Europe, as well as Europe and the United States. Outside Brazil, other museum directors also had been turning art institutions in experimentation laboratories, as was the case of the Swedish Pontus Hulten in Poetry Must Be Made By All (1969) and Utopians and Visionaries 1970-1981 (1971) and the Swiss Harald Szeemann in When Attitudes Become Form (1969). In order to bring up the current issues that relate to the availability of art institutions in rethinking and restructuring their businesses to receive processual artistic practices, we present some proposals from artists and curators which reflect the function of the museums today. The approach of the concept of white cube of Brian O Doherty was here opposed to the idea of a museum equipped to suit experimental art practices. Live Archive , place lab , other spaces as extensions of the museum and collaboration spaces are names that were developed upon the reflection and analysis of the artistic and curatorial processes presented in this work, and tend to redefine the role of art institutions. Among the practices addressed nowadays in Brazil we highlight the work carried out by Martin Grossmann, director of Centro Cultural São Paulo (CCSP), from 2006 to 2010, as well as the creation and coordination of the Permanent Forum: Museums: between public and private . Both spaces reflect an attempt to expand the concept of the museum as a laboratory of experiences, meetings, discussion and socialization of art
Keywords: Instituição de arte
Práticas artísticas processuais
Laboratório de experiências
Museus de arte
Arte moderna Séc. XX
Institution of art
Artistic practices procedures
Laboratory of experiences
metadata.dc.subject.cnpq: CNPQ::LINGUISTICA, LETRAS E ARTES::ARTES
metadata.dc.language: por
metadata.dc.publisher.country: BR
Publisher: Universidade do Estado de Santa Catarina
metadata.dc.publisher.initials: UDESC
metadata.dc.publisher.department: Artes Visuais
metadata.dc.publisher.program: Mestrado em Artes Visuais
metadata.dc.rights: Acesso Aberto
URI: http://tede.udesc.br/handle/handle/856
Issue Date: 20-Dec-2010
Appears in Collections:Mestrado em Artes Visuais

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
tatiana.pdf6,84 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.