Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://tede.udesc.br/tede/tede/2128
Tipo: Dissertação
Título: Identificação de fatores de risco para mastite subclínica em rebanhos do estado de Santa Catarina
Título(s) alternativo(s): Identification of risk factors of subclinical mastitis in herds in the Santa Catarina State
Autor(es): Cardozo, Leonardo Leite
Primeiro Orientador: Thaler Neto, André
Resumo: O presente trabalho teve como objetivo identificar os fatores de risco para mastite subclínica em propriedades leiteiras localizadas nas mesorregiões Oeste, Meio-oeste, Serrana e Sul do Estado de Santa Catarina. O experimento foi desenvolvido em 30 rebanhos, perfazendo aproximadamente 1.700 vacas em lactação, participantes do Serviço de Controle Leiteiro da Associação Catarinense de Criadores de Bovinos (ACCB) durante o período de novembro de 2011 a dezembro de 2012. Informações sobre a caracterização das unidades produtoras de leite e seus programas de manejo foram obtidas a partir de questionário aplicado aos produtores, bem como através do acompanhamento das propriedades. Durante o desenvolvimento do trabalho as propriedades selecionadas foram visitadas três vezes para atualização dos dados, sendo após as visitas foi montada uma base de dados com informações do controle leiteiro e do questionário. A dinâmica da mastite subclínica foi determinada da relação da contagem de células somáticas (CCS) do mês anterior com a CCS do mês atual. Para análise da dinâmica das infecções intramamárias foi primeiramente utilizado o teste Qui-quadrado (2) para testar associações entre cada variável independente, seguida de análise de regressão logística para a estimativa de risco de novas infecções em contraste às vacas sadias e infecções crônicas em comparação às novas infecções. A contagem média da CCS foi de 493.728 células/mL, sendo que em 43,3% dos controles as vacas encontravam-se sadias (CCS <200.000/mL). As variáveis explicativas que compuseram o modelo final de regressão logística para risco de uma vaca desenvolver um novo caso de mastite em relação às vacas sadias foram à ordem de parto, hiperqueratose da 8 extremidade dos tetos, profundidade do úbere, sujidade do úbere e adoção de linha de ordenha. Vacas com > 4 partos apresentaram risco de 1,65 vezes de nova infecção intramamária em relação às vacas primíparas (P <0,01). Para vacas com escore médio de hiperqueratose acima de 3 (escala de 1 a 4) foi observado risco 1,61 vezes maior de contrair novas infecções, vacas com úberes abaixo da linha do jarrete obtiveram risco de 2,46 (P <0,001) e vacas com úberes muitos sujos apresentaram taxa de risco de 1,55 vezes maior de tornar-se infectadas. Propriedades que não realizam linha de ordenha para animais mais infectado apresentaram taxa de risco de 1,55 vezes mais de contraírem infecção. O modelo final de regressão logística que apresentou melhor explicação para o risco de desenvolver uma infecção de mastite subclínica crônica em relação a novos casos de mastite subclínica incluiu as características manutenção dos equipamentos de ordenha, estágio de lactação e profundidade do úbere. Propriedades que realizam a manutenção dos equipamentos de ordenha de forma apenas eventual apresentaram taxa de risco 2,17 vezes maior de possuir vacas com infecção crônica (P <0,001), vacas a partir de 100 dias de lactação já apresentam um risco aumentado, variando de 2,70 a 5,88 e vacas com profundidade do úbere junto ou abaixo da linha do jarrete mostraram risco de aproximadamente 1,65 em comparação com as vacas com úbere mais raso (P <0,01)
Abstract: This study was aimed to identify risk factors of subclinical mastites in dairy herds located in the region of West, Midwest, Serrana and Southern in Santa Catarina State, Brazil. The experiment was conducted in 30 dairy herds, totaling approximately 1.700 lactating cows, participating in Dairy Control Service of Santa Catarina Association of Cattle Breeders (ACCB) during the period November 2011 to December 2012. Information on the characterization of milk-producing units and their management programs were obtained by survey with the farmes as well as by monitoring the farms. During the development of the work selected farms were visited three times to update the data, and after the visits has assembled a database with information from test dairy controls and survey. The dynamics of subclinical mastitis was determined from the ratio of the somatic cell count (SCC) of the previous month to the current month s SCC. In the analysis of the dynamic of intramammary infections was initially used the Chi-square (X²) to test associations between each independent variable with the dyna =mics of mastitis, followed by logistic regression analysis to estimate the risk of new infections in contrast to healthy cows and chronic infections compared to new infections. The average count of SCC was 493, 728 cells/mL, being that in 32.3% of control cows were healthy (SCC<200,000/mL). the explanatory variables that composed the final logistic regression model for risk of a cow developing a new case of mastitis in relation to healthy cows were parity, hyperkeratosis at the teat, udder depth, udder dirt and adoption of milking line. Cows with> 4 birth had 1.65 times the risk of new intramammary infection compared to ptimiparous cows (P <0.01). For cows with a mean score of hyperkeratosis ends above of 3 (scale of 1 to 4) was observed 1.61 times greater risk of developing new infections, cows with udders below the hock achieved risk of 2.46 (P <0.001) and cows with dirty udders many showed risk of 1.55 times of becoming infected. Farms hat do not perform line for milking animals had infected increased the 1.55 times greater risk of developing infections. The final model of logistic regression showed the best explanation for the risk of developing a chronic infection of subclinical mastitis in relation to new subclinical mastitis including maintenance of milking equipment, stage of lactation and udder depth. Farmsn that perform maintenance of milking equipment only eventual had 2.17 times greater risk of owning cows with chronic infection (P <0.001) cows above 100 days in milk already increased risk, ranging from from 2.70 to 5.88 and cows with udder depth at or below the hock shown risk approximately 1.65 compared to the cows shallowe udders (P <0.01)
Palavras-chave: controle leiteiro
contagem de células somáticas
infecções intramamárias
propriedades
ordenha
dairy control
somatic cell count
intramammary infections
dairy farms
milking
CNPq: CNPQ::CIENCIAS AGRARIAS::MEDICINA VETERINARIA
Idioma: por
País: BR
Editor: Universidade do Estado de Santa Catarina
Sigla da Instituição: UDESC
metadata.dc.publisher.department: Ciências Veterinárias
metadata.dc.publisher.program: Mestrado em Ciência Animal
Citação: CARDOZO, Leonardo Leite. Identification of risk factors of subclinical mastitis in herds in the Santa Catarina State. 2013. 100 f. Dissertação (Mestrado em Ciências Veterinárias) - Universidade do Estado de Santa Catarina, Lages, 2013.
Tipo de Acesso: Acesso Aberto
URI: http://tede.udesc.br/handle/handle/2128
Data do documento: 15-Jul-2013
Aparece nas coleções:Mestrado em Ciência Animal

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
PGCA13MA111.pdf1,53 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.