Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://tede.udesc.br/tede/tede/1470
Tipo: Dissertação
Título: Influência da reserva ventilatória na mobilidade diafragmática em pacientes com doença pulmonar obstrutiva crônica
Título(s) alternativo(s): The influence of ventilatory reserve in diaphragmatic mobility in patients with chronic obstructive pulmonary disease
Autor(es): Oliveira, Flávia Roberta Rocha de
Primeiro Orientador: Paulin, Elaine
Resumo: Pacientes com doença pulmonar obstrutiva crônica (DPOC) apresentam redução da mobilidade diafragmática (MD) e da reserva ventilatória (RV). A MD tem demonstrado relação com a função pulmonar, aprisionamento de ar, hiperinsuflação pulmonar, distância percorrida no teste da caminhada de seis minutos (TC6min), mortalidade e dispneia em pacientes com DPOC. Da mesma forma, a RV apresenta relação com a capacidade de exercício, gravidade da doença e dispneia. Contudo não há estudos que investiguem se a RV influencia a MD em pacientes com DPOC. Objetivo: Investigar a influência da RV na MD em pacientes com DPOC, bem como comparar as características antropométricas, função pulmonar, MD, dispneia e capacidade de exercício entre os grupos RV >11litros/minuto (l/min) e RV <11l/min. Métodos: Tratou-se de um estudo com delineamento transversal, no qual foram avaliados 42 pacientes com DPOC de ambos os sexos e idade média de 64±8 anos. No primeiro dia, os pacientes foram submetidos às seguintes avaliações: antropometria, sinais vitais, espirometria e dispneia. No segundo dia foram submetidos ao TC6min, e após uma semana foi avaliada a MD pelo método radiográfico da distância entre a inspiração e expiração máxima (MDdist). A amostra foi subdividida nos grupos RV >11l/min e RV <11l/min para comparação das características antropométricas, dados espirométricos, MD, dispneia e capacidade submáxima de exercício. Análise estatística: A normalidade dos dados foi testada pelo teste de Shapiro Wilk. Conforme a distribuição dos dados utilizou-se um teste paramétrico ou não paramétrico. O coeficiente de correlação linear de Pearson correlacionou a RV com a MD. O teste de regressão linear simples verificou a influência da RV na MD. O teste t de Student para amostras independentes ou o teste U de Mann Whitney foi usado para comparação dos grupos RV >11l/min e RV <11l/min. Adotou-se nível de significância de 5% (p < 0,05). Resultados: A RV influenciou em 25% a MD, sendo que para cada aumento de 1 l/min da RV, a MD aumentou em 0,38 mm (p=0,001, F=13,78). Ao comparar os grupos RV &#707; 11l/min e RV &#706; 11l/min, constatou-se que no grupo RV &#706;11l/min os pacientes eram mais idosos (69±5 versus 61±8 anos) e apresentaram menores valores das variáveis: CI, volume expiratório forçado no primeiro segundo (VEF1), MD, pior capacidade submáxima de exercício e maior dispneia. Conclusões: A RV influencia a MD. Além disso, pacientes com DPOC que apresentaram RV <11l/min são mais comprometidos tanto na função pulmonar e MD quanto na capacidade submáxima de exercício e dispneia, em comparação a pacientes com DPOC que apresentam RV >11l/min.
Abstract: Patients with Chronic Obstructive Pulmonary Disease (COPD) have reduced diaphragmatic mobility (DM) and ventilatory reserve (VR). DM has demonstrated relationship with lung function, air trapping, lung hyperinflation, distance covered on the six-minute walk test (6MWT), mortality and dyspnea in patients with COPD. Similarly, VR is correlated with exercise capacity, disease severity and dyspnea. However, there are no studies investigating whether static hyperinflation and VR influence DM in patients with COPD. Objective: To investigate the influence of static hyperinflation and VR on DM in patients with COPD, as well as to compare the anthropometric characteristics, spirometric data, DM, dyspnea and submaximal exercise capacity among VR> 11l / minute (l / min) and VR <11l / min groups. Methods: This is a cross-sectional study that evaluated 42 patients with COPD. On the first day, patients underwent the following assessments: anthropometry, vital signs, spirometry and dyspnea. On the second day, patients performed the six-minute walk test and after one week, DM was evaluated by radiographic method considering the distance between maximal inspiration and expiration (DMdist). The sample was divided into VR > 11l / min and VR <11l / min groups for the comparison of anthropometric characteristics, spirometric data, DM, dyspnea and submaximal exercise capacity. Statistical analysis: Data normality was tested by Shapiro Wilk. According to data distribution, parametric or nonparametric test was used. Simple linear regression found the influence of lung hyperinflation and VR on DM. The Pearson s linear correlation coefficient correlated DM with static hyperinflation and VR. The t test for independent samples or the Mann Whitney U test was used to compare VR> 11l / min and VR <11l / min groups. Significance level of 5% (p <0.05). Results: Static hyperinflation influenced DM by 46%, i.e., to increase 1 liter in inspiratory capacity (IC), DM increased 1.56 cm (p 0.001, F = 34.55), while VR influenced only 25%, and for every increase of 1 l / min of VR, DM increased by 0.38 mm (p = 0.001, F =13.78). By comparing VR >11l / min and VR < 11l / min groups, it was found that in the VR <11l / min group, patients were older (69 ± 5 versus 61 ± 8 years) and showed reduction in the following variables: IC, forced expiratory volume in the first second (FEV1), DM, worse submaximal exercise capacity and increased dyspnea. Conclusions: Static hyperinflation and VR influence DM. However, hyperinflation exerts greater influence on DM compared to VR. In addition, patients with COPD who have VR <11l / min are more committed both in the lung function and DM as in submaximal exercise capacity and dyspnea when compared to patients with COPD with who have VR> 11l / min.
Palavras-chave: doença pulmonar obstrutiva crônica
ventilação
diafragma
chronic obstructive pulmonary disease
ventilation
diaphragm
inspiratory capacity
CNPq: CNPQ::CIENCIAS DA SAUDE::FISIOTERAPIA E TERAPIA OCUPACIONAL
Idioma: por
País: BR
Editor: Universidade do Estado de Santa Catarina
Sigla da Instituição: UDESC
metadata.dc.publisher.department: Avaliação e intervenção em fisioterapia
metadata.dc.publisher.program: Mestrado em Fisioterapia
Citação: OLIVEIRA, Flávia Roberta Rocha de. The influence of ventilatory reserve in diaphragmatic mobility in patients with chronic obstructive pulmonary disease. 2015. 2 f. Dissertação (Mestrado em Avaliação e intervenção em fisioterapia) - Universidade do Estado de Santa Catarina, Florianópolis, 2015.
Tipo de Acesso: Acesso Aberto
URI: http://tede.udesc.br/handle/handle/1470
Data do documento: 30-Jun-2015
Aparece nas coleções:Mestrado em Fisioterapia

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Resumo Flavia Rocha.pdf124,68 kBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.