Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://tede.udesc.br/tede/tede/1412
Tipo: Dissertação
Título: Interação entre temperatura e molhamento no desenvolvimento da entomosporiose da pereira
Título(s) alternativo(s): Effect of temperature and wetness duration on fabraea leaf spot development in pear
Autor(es): Nunes, Claudia Cardoso
Primeiro Orientador: Bogo, Amauri
Resumo: A cultura da pereira é uma alternativa para a diversificação da fruticultura temperada na região Sul do Brasil. Dentre os problemas que afetam a expansão da cultura destaca-se a entomosporiose, doença causada pelo fungo Entomosporium mespili. Essa doença provoca lesões em folhas, frutos e eventualmente pode formar cancros. O objetivo deste trabalho foi determinar a influência dos fatores ambientais temperatura e período de molhamento na germinação de conídios, infecção e colonização de E. mespili. Quatro experimentos foram realizados, sendo: (1) avaliação da germinação de conídios de E. mespili em meio de cultura ágar-água, nas temperaturas de 5, 10, 15, 20, 25 e 30°C e 0, 2, 4, 6, 8, 12, 24 e 48 horas de incubação; (2) efeito das temperaturas de 5, 10, 15, 20, 25 e 30°C no desenvolvimento da entomosporiose em folhas destacadas de pereira em câmaras úmidas; (3) efeito da temperatura de 20°C por 24 horas, na infecção de conídios de E. mespili em folhas destacadas de pereira e posterior colonização nas temperaturas de 5, 10, 15, 20, 25 e 30°C, em câmara úmida; e (4) efeito dos períodos de molhamento foliar de 0, 6, 12, 24 e 48 horas na severidade da entomosporiose em mudas de pereira mantidas em fitotron à 20°C. As avaliações de germinação foram realizadas contando-se o número de conídios germinados e não germinados para obtenção da superfície resposta. Nos experimentos 2, 3 e 4 foram utilizadas folhas e mudas de pereira Rocha . O efeito da temperatura na infecção e colonização foi avaliado em cada tratamento através da determinação do período latente, do número de lesões e da esporulação, 14 dias após a inoculação. A severidade das folhas foi avaliada aos 4, 7, 11, 14, 17 e 21 dias após a inoculação. Os dados de germinação de conídios permitiram a obtenção de uma superfície resposta com base na multiplicação dos modelos Beta-generalizado (temperatura) e Monomolecular (incubação). As condições ótimas para germinação dos conídios foram de 12, 6 e 8h de incubação nas temperaturas de 10, 20 e 25ºC, respectivamente. O período de incubação foi de 5 dias para as temperaturas de 15, 20 e 25°C e na temperatura de 10°C aumentou para 7 dias. A esporulação teve início 9 dias após a inoculação nas temperaturas de 20 e 25°C. O período latente foi de 10 dias na temperatura de 20°C. Nas temperaturas de 5 e 30°C não houve desenvolvimento de sintomas da doença. A temperatura durante a infecção teve efeito sobre o número máximo de lesões. A temperatura de 20°C proporcionou maior número de lesões/folha, seguida das temperaturas de 25 e 15°C. O aumento da duração do período de molhamento foliar resultou em aumento proporcional da severidade. A doença não ocorreu na ausência de molhamento foliar. A duração do período de molhamento foliar não influenciou o período de incubação, sendo que o início do aparecimento de sintomas foi de 4-5 dias em todos os tratamentos avaliados. A severidade máxima observada foi em torno de 4% para os períodos de molhamento foliar de 24 e 48h. O crescimento da doença no monociclo foi ajustado ao modelo linear. Os coeficientes de determinação da regressão linear da severidade apresentaram valores acima de 0,90
Abstract: The pear crop production is an alternative for diversification of temperate fruit production in southern Brazil. The fabraea leaf spot, caused by the fungus Entomosporium mespili, is a major disease of pear. This disease causes lesions on leaves, fruits and and sometimes cankers are formed. The objective of this study was to determine the influence of environmental factors temperature and wetness duration on germination of conidial, infection and colonization of E. mespili. Four experiments were carried out as follows: (1) assessment of conidial germination of E. mespili in vitro at temperatures of 5, 10, 15, 20, 25 and 30 °C and incubation times of 0, 2, 4, 6, 8, 12, 24 and 48 hours; (2) effect of temperatures of 5, 10, 15, 20, 25 and 30 °C in the development of fabraea leaf spot in detached leaves of pear in humid chambers; (3) effect of temperature of 20° C by exposure for 24 h, in infection of E. mespili conidia on detached leaves of pear, and colonization after at temperatures of 5, 10, 15, 20, 25 and 30 °C in a humid chamber; and (4) effect of wetness period of 0, 6, 12, 24 and 48 hours after inoculation in severity of fabraea leaf spot on young pear trees in phytotron at 20 °C and 65% relative humidity. Germination was assessed by counting the spores germinated and non-germinated to obtainment of surface response. In experiments 2, 3 and 4 were used leaves and young trees of Rocha pear variety. The temperature effect on the infection and colonization in each treatment was evaluated by determining the latent period, the number of lesions and sporulation at 14 days after inoculation. The severity on leaves was measured at 4, 7, 11, 14, 17 and 21 days after inoculation. The germination conidial data allowed fitting to Beta-generalized (temperature) and Monomolecular (incubation) models. The conditions for germination were 12, 6, and 8 hours wetness in 10, 20 and 25ºC, respectively. Incubation period was 5 days in temperatures of 15, 20 and 25°C and increased to 7 days in 10°C. The sporulation began 9 days after inoculation at temperatures of 20 to 25°C. The latent period was 10 days at 20°C. There were no disease symptoms at temperatures of 5 to 30°C. The temperature during infection interfered on the final numbers of lesions. The temperature of from 20°C provides a greater number of lesions/leaf then temperatures of 25 and 15°C. The disease did not occur in the absence of leaf wetness. The increase of leaf wetness duration was proportional to severity increase. The duration of leaf wetness period did not influence the incubation period. The beginning of symptoms was 4-5 days in all treatments. Maximum observed severity was around 4% for the periods of 24 and 48 hours of leaf wetness. The disease growth in monocycle was fitted to the linear model. The coefficients of determination were above 0.90 for all treatments
Palavras-chave: Entomosporium mespili
temperatura
molhamento foliar
infecção
Entomosporium mespili
temperature
leaf wetness
infection
CNPq: CNPQ::CIENCIAS AGRARIAS::AGRONOMIA
Idioma: por
País: BR
Editor: Universidade do Estado de Santa Catarina
Sigla da Instituição: UDESC
metadata.dc.publisher.department: Produção Vegetal
metadata.dc.publisher.program: Mestrado em Produção Vegetal
Citação: NUNES, Claudia Cardoso. Effect of temperature and wetness duration on fabraea leaf spot development in pear. 2015. 88 f. Dissertação (Mestrado em Produção Vegetal) - Universidade do Estado de Santa Catarina, Lages, 2015.
Tipo de Acesso: Acesso Aberto
URI: http://tede.udesc.br/handle/handle/1412
Data do documento: 23-Fev-2015
Aparece nas coleções:Mestrado em Produção Vegetal

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
PGPV15MA163.pdf1,55 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.