Exportar este item: EndNote BibTex

Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://tede.udesc.br/handle/handle/647
Tipo do documento: Tese
Título: Fatores socioeconômicos, sociodemográficos e motivacionais relacionados à prática de exercícios físicos em academias
Título(s) alternativo(s): Socioeconomic, sociodemographic and motivational factors related to physical exercise in gyms
Autor: Liz, Carla Maria de 
Primeiro orientador: Andrade, Alexandro
Resumo: A presente tese tem por objetivo investigar os fatores socioeconômicos, sociodemográficos e motivacionais de praticantes de exercícios físicos (EF) em academias. Para tal, foram realizados dois estudos de revisão teórica, dois de revisão sistemática da literatura e três estudos empíricos. A primeira análise teórica da literatura contextualiza o cenário socioeconômico brasileiro, apontando para a desigualdade social vigente e destacando fatores socioeconômicos, ociodemográficos e motivacionais que influenciam a prática de EF. A segunda análise teórica descreve como se dá a relação entre a mercadorização da saúde por meio da prática de EF nas academias e o papel do professor de Educação Física nesta relação. As revisões sistemáticas seguiram os critérios da Preferred Reporting Items for Systematic Reviews and Meta-Analyses. Na primeira é analisada a produção científica sobre a relação entre classe socioeconômica (CSE) e prática de EF em academias. Na segunda se analisou como a CSE pode influenciar a prática de EF em academias. Quanto aos estudos empíricos, estes são descritivos de campo transversais e comparativos. Participaram do estudo 328 praticantes de EF selecionados por conveniência em três academias de Florianópolis/SC, pertencentes a diferentes CSE, sendo 78 (23,8%) de classe baixa (CSEB), 174 (53%) classe média (CSEM) e 76 (23,2%) de classe alta (CSEA). Quatro instrumentos foram utilizados para coleta de dados, a contar: 1) Questionário de caracterização dos clientes de academias (Adaptado de Andrade (2001) e Liz e Andrade (2011)); 2) Questionário de classificação socioeconômica da Associação Brasileira de Empresas de Pesquisa (ABEP, 2015); 3) Questionário de Regulação de Comportamento no exercício físico / Behavioral Regulation in Exercise Questionnaire-2 (BREQ-2) (MARKLAND e TOBIN, 2004); 4) Exercise Motivation Inventory (EMI-2) (adaptado, traduzido e validado por Guedes, Legnani e Legnani (2012)). Os dados foram tabulados no programa Statistic Package for Social Sciences SPSS versão 20.0 e analisados por meio de estatística descritiva e inferencial não paramétrica. A análise bibliométrica e a revisão sistemática da literatura foram desenvolvidas a partir de 24 estudos selecionados. Estes demonstram a recenticidade de estudos que tratam sobre a relação entre a CSE e prática de EF em academias e a escassez de estudos desta natureza no Brasil. A revisão bibliométrica identificou maior número de publicações no Reino Unido, seguido dos Estados Unidos e que diversas áreas da saúde, especialmente a medicina, investigam e publicam sobre o tema. A partir da revisão sistemática foi verificado que são utilizados como método para identificar a CSE a renda, emprego, escolaridade, valor dos imóveis do bairro, raça, etnia e características econômicas dos bairros, além de instrumentos específicos para tal finalidade. A prática de EF em academias é influenciada pela CSE devido aos bairros mais favorecidos economicamente apresentarem mais academias do que os menos favorecidos e aos custos envolvidos na prática de EF. Os estudos empíricos permitiram verificar que o sexo, faixa etária, renda familiar e estado civil estão associados à CSE dos praticantes de EF em academias. Mais praticantes de EF com mais de 35 anos de idade, maior renda familiar e que vivem com um parceiro foi verificado na classe socioeconômica alta (CSEA). Mais mulheres da CSEA e mais homens da classe socioeconômica baixa (CSEB) praticam EF em academias. O tempo de prática e a quantidade de modalidades praticadas se associaram à CSE dos praticantes, sendo que os de CSEA apresentam maior tempo de prática e praticam mais modalidades do que os da CSEM ou CSEB. A CSEA apresenta elevado número de praticantes com motivações extrínsecas e intrínsecas altas, por outro lado, a CSEB e CSEM apresenta número elevado de praticantes com motivações mais internas do que externas altas, o que de acordo com a teoria da autodeterminação, favorece a maior adesão a prática de EF. Entretanto, destaca-se o elevado número de praticantes da CSEB com motivações internas e externas baixas. Estes resultados indicam que os praticantes da CSEB são menos motivados para a prática de EF do que os da CSEM ou CSEA. Conforme aumenta a CSE do praticante os motivos mais intrínsecos (condição física, controle do peso corporal, diversão/bem-estar, afiliação) passam a influenciar mais a prática de EF. Conclui-se que os fatores socioeconômicos, sociodemográficos e motivacionais influenciam a prática de EF em cademias. Estudos com diferentes métodos e abordagens devem ser desenvolvidos buscando aprofundar o conhecimento, tendo como pressuposto que os fatores socioeconômicos, sociodemográficos e motivacionais são fundamentais para a compreensão do estilo de vida e das possibilidades de decisão para a prática de EF de diferentes grupos populacionais, especialmente no Brasil.
Abstract: This thesis has the purpose of investigating the socioeconomic, sociodemographic and motivational factors of people who practice physical exercises (PE) in gyms. In order to accomplish that, seven studies were written, two theoretical reviews, two systematic literature reviews and three empirical studies. The first theoretical review of the literature contextualizes the Brazilian socioeconomic scene, pointing to the existing social differences and highlighting socioeconomic, sociodemographic and motivational factors that influence the practice of PE. The second theoretical analysis describes how the relation between the marketing of health through the practice of PE in gyms and the role of the physical education professional occurs. The systematic reviews observed the standards of Preferred Reporting Items for Systematic Reviews and Meta-Analyses. In the first one, the scientific production on the relation between socioeconomic class (SEC) and the practice of PE in gyms was investigated. In the second one we investigated how the SEC may influence the practice of PE in gyms. Regarding the empirical studies, these are transversal and comparative descriptive field studies. 328 individuals who practice PE, selected out of convenience in three gyms in Florianópolis/SC participated in the study. They belong to different SECs, 78 (23,8%) low class (LSEC), 174 (53%) middle class (MSEC) and 76 (23,2%) high class (HSEC). Four instruments were used for data collection, as follows: 1) Characterization questionnaire for gym clientes (adapted from Andrade (2001) and Liz and Andrade(2011)); 2) Questionnaire for socioeconomic classification from the Associação Brasileira de Empresas de Pesquisa (ABEP, 2015)/Brazilian Association of Research Companies (BARC, 2015); 3) Behavioral Regulation in Exercise Questionnaire-2 (BREQ-2) (MARKLAND and TOBIN, 2004); 4) Exercise Motivation Inventory (EMI-2) (adapted, translated and validated by Guedes, Legnani and Legnani (2012)). The data were processed in the program Statistic Package for Social Sciences SPSS version 20.0 and analyzed through descriptive and non-parametrical inferential statistics. The bibliometric analysis and the systematic literature review were developed from 24 selected studies. These display how recent the studies that investigate the relation between the SEC and the practice of PE actually are, and how rare they are in Brazil. The bibliometric review identified a greater number of publications in the United Kingdom, followed by the United States, and that many health areas, specially medicine, investigate and publish on the subject. From the systematic review it was verified that, as a method to identify SEC, researchers use the income, employment, educational level, value of the real estate in the areas, race, ethnicity and economical characteristics of the areas, along with specific instruments for such task. The practice of PE in gyms is influenced by SEC due to the fact that richer neighborhoods have more gyms than poorer ones and to the costs involved in the practice of PE. The empirical studies allowed to verify that sex, ge, family income and marital status are associated to the SEC of the people who practice PE in gyms. More PE practitioners aged over 35 years old, with higher family income and who are living with a partner were found in the HSEC. More women from HSEC and more men from the low socioeconomic class LSEC practice PE in gyms. The time of practice and the number of modalities practiced were associated to the SEC of the practitioners, being that the ones from HSEC present more practice time and practice more modalities than the ones from MSEC and LSEC. The HSEC presents an elevated number of practitioners with high extrinsic and intrinsic motivations, on the other hand, LSEC and MSEC present an elevated number of practitioners with more internal than external motivations, which, according to the Self Determination Theory, favors the adhesion to the practice of PE. However, na elevated number of practitioners of the LSEC with low internal and external regulations must be highlighted. These results indicate that the LSEC practitioners are less motivated to the practice of PE than the ones from MSEC and HSEC. As the SEC of the practitioner increases, the more intrinsic motives (physical condition, body weight control, fun/well being, affiliation) start to influence more the practice of PE. In conclusion, the socioeconomic, sociodemographic and motivational factors influence the practice of PE in gyms. Studies with different methods and approaches must be developed aiming to deepen the knowledge of this subject, with the assumption that the socioeconomic, sociodemographic and motivational factors are fundamental to the understanding of the lifestyle and of the decision possibilities for the practice of PE in diferente population groups, especially in Brazil.
Palavras-chave: fatores socioeconômicos
fatores sociodemográficos
motivação
exercício físico
academia
socioeconomic factors
sociodemographic factors
motivation
physical exercise
gym
Área(s) do CNPq: CNPQ::CIENCIAS DA SAUDE::EDUCACAO FISICA
Idioma: por
País: BR
Instituição: Universidade do Estado de Santa Catarina
Sigla da instituição: UDESC
Departamento: Ciência do Movimento Humano
Programa: Doutorado em Ciências do Movimento Humano
Citação: LIZ, Carla Maria de. Socioeconomic, sociodemographic and motivational factors related to physical exercise in gyms. 2015. 11 f. Tese (Doutorado em Ciência do Movimento Humano) - Universidade do Estado de Santa Catarina, Florianópolis, 2015.
Tipo de acesso: Acesso Aberto
URI: http://tede.udesc.br/handle/handle/647
Data de defesa: 31-Jul-2015
Aparece nas coleções:Doutorado em Ciências do Movimento Humano

Arquivos associados a este item:
Arquivo TamanhoFormato 
Carla Maria de Liz.pdf36,35 kBAdobe PDFBaixar/Abrir Pré-Visualizar


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.