Exportar este item: EndNote BibTex

Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://tede.udesc.br/handle/handle/641
Tipo do documento: Tese
Título: Estilo de vida de adolescentes e variáveis contextuais
Título(s) alternativo(s): Lifestyle of adolescents and contextual variables
Autor: Silva, Juliana da 
Primeiro orientador: Beltrame, Thais Silva
Resumo: Objetivou-se analisar o estilo de vida de adolescentes da região da Grande Florianópolis, bem como as influências das relações interpessoais, papéis e as atividades desenvolvidos pelos familiares e amigos em conjunto com os escolares, nos comportamentos de risco vivenciados pelos participantes do estudo. A amostragem foi realizada de forma aleatória e proporcional por conglomerados, de acordo com o número de alunos matriculados nas escolas públicas estaduais, em cada município pertencente à região da Grande Florianópolis. A amostra final totalizou 3.550 participantes, com média de idade de 16,12 (±1,03) anos, dos quais 55% são moças (idade média= 16,06; ± 1,04) e 45% rapazes (idade média= 16,20; ± 1,03). Para o alcance dos objetivos propostos foram utilizados quatro instrumentos de medida: questionário para caracterização sociodemográfica e dos comportamentos de risco, adaptado do instrumento utilizado pelo CEBRID; Escala de Suporte Social para a Prática de Exercícios por Adolescentes; Inventário de Rede de Relações; e o Questionário Internacional de Atividades Físicas (IPAQ). Utilizou-se de estatística descritiva, para a apresentação de médias, frequências e desvios padrão. A estatística inferencial contou com o teste Qui-Quadrado, análise bivariada e multivariada por meio de Regressão Logística Binária e de Poison, comparação entre médias com o teste t de Student, teste t para amostras pareadas e ANOVA para medidas repetidas. Procedimentos de post hoc para as ANOVAs e effect size para os testes t e ANOVAs também foram realizados. Em relação à prática de atividades físicas, verificou-se que mais de 60% dos jovens foram classificados como insuficientemente ativos, não havendo diferenças significativas entre os sexos. Os principais fatores associados à atividade física insuficiente, verificados após a análise ajustada, em ambos os sexos foram: não gostar de praticar, a falta de prática pelas mães e amigos, e falta de expectativas destes e dos pais, em relação à prática de atividades físicas pelos participantes do estudo. No que se refere aos comportamentos de risco, as maiores prevalências foram relacionadas ao consumo de álcool, porém foram elevados também o consumo de cigarro e maconha. No sexo feminino, os principais subgrupos associados ao consumo de substâncias foram: moradoras de grandes cidades, que trabalham, avaliam a saúde como péssima ou regular, consomem outros tipos de drogas e cujas mães, irmãos e melhores amigos também são envolvidos com o uso de substâncias psicotrópicas. No grupo masculino, os grupos de risco para o uso de substâncias foram: jovens de 17 e 18 anos, alunos do terceiro ano, que trabalham, já reprovaram na escola, consomem outras drogas, e cujas mães, irmãos e melhores amigos são envolvidos com o uso de substâncias, com ênfase para os melhores amigos. O grupo social que mais influenciou nos comportamentos dos adolescentes foi o de amigos. Porém, adolescentes não usuários de drogas tendem a apresentar um relacionamento mais positivo com os pais que o grupo que faz uso destas substâncias. Os resultados demonstraram que as atividades desenvolvidas nos contextos de desenvolvimento tendem a ser vivenciadas pelos jovens fora destes, sejam elas positivas ou negativas, em especial quando ocorrem fortes relações interpessoais associadas.
Abstract: The study aimed to assess the lifestyle of adolescents from the greater Florianópolis area, as well as the influences among interpersonal relationships, roles and activities developed by relatives and friends together with schoolmates, in the risk-taking behavior experienced by the participants. Sampling has been made in random and proportionally in conglomerates, according to the number of students enrolled in the public state schools, in each of the cities belonging to the greater Florianópolis area. The final sample totaled 3,550 participants, whose average age was 16.12 (±1.03) years old, of which 55% are females (average age= 16.06; ± 1.04) and 45% males (average age= 16.20; ± 1.03). To achieve the proposed goals, four measuring instruments have been used: a questionnaire for risk-taking behavior and sociodemographic characterization, adapted from the instrument used by CEBRID; Social Support Scale for Students Exercise Habits; Network of Relationship Inventory; and the International Physical Activity Questionnaire (IPAQ). Descriptive statistics has been used to present averages, frequencies and standard deviations. Inferential statistics had the Chi-Square test, bivariate and multivariate analysis through binary and poisson logistic regression, comparison between averages with the student t test, t test for paired samples and ANOVA for repeated measurements. Post hoc procedures for the ANOVAS and effect size for the t test and ANOVAS have also been performed. Regarding the practice of physical activities, it was verified that more than 60% of the adolescents were classified as insufficiently active, with no significant difference between genders. The main factors associated to insufficient physical activity, verified after adjusted analysis, in both genders were: disliking practice, lack of practice by mothers and friends, lack of expectancy from friends and parents in relation to the practice of physical activity by the participants in the study. Regarding risk-taking behavior, the higher prevalences were related to the consumption of alcohol, but smoking cigarettes and marijuana were also high. Among females, the main subgroups associated to consumption of substances were: big city dwellers who work, assess as very bad or regular, consume other types of drugs and whose mothers, siblings and best friends are also involved with the usage of narcotics. Among males, the risk-taking behavior group for the consumption of narcotics were: adolescents between 17 and 18 years old, senior high school students, employed and who have failed a year at school, whose mothers, siblings and friends are involved with the consumption of other drugs, with emphasis on the best friends. The social group that most influenced the behavior of the adolescents were the friends. Even though, adolescents who do not use drugs tend to feature a more positive relationship with their parents than the group that consumes those substances. Results show that activities performed in the contexts of development tend to be experienced by the adolescents out of those contexts, either positive or negative, specially when strong interpersonal relationships are associated.
Palavras-chave: adolescentes
estilo de vida
comportamentos de risco
relações interpessoais
adolescentes
estilo de vida
comportamentos de risco
relações interpessoais
Área(s) do CNPq: CNPQ::CIENCIAS DA SAUDE::EDUCACAO FISICA
Idioma: por
País: BR
Instituição: Universidade do Estado de Santa Catarina
Sigla da instituição: UDESC
Departamento: Ciência do Movimento Humano
Programa: Doutorado em Ciências do Movimento Humano
Citação: SILVA, Juliana da. Lifestyle of adolescents and contextual variables. 2014. 2 f. Tese (Doutorado em Ciência do Movimento Humano) - Universidade do Estado de Santa Catarina, Florianópolis, 2014.
Tipo de acesso: Acesso Aberto
URI: http://tede.udesc.br/handle/handle/641
Data de defesa: 7-Mar-2014
Aparece nas coleções:Doutorado em Ciências do Movimento Humano

Arquivos associados a este item:
Arquivo TamanhoFormato 
Juliana da Silva_Resumo Tese.pdf17,77 kBAdobe PDFBaixar/Abrir Pré-Visualizar


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.