Exportar este item: EndNote BibTex

Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://tede.udesc.br/handle/handle/423
Tipo do documento: Dissertação
Título: Sexualidade na lesão medular
Título(s) alternativo(s): Sexuality in spinal cord injury
Autor: Baasch, Aline Knepper Mendes 
Primeiro orientador: Cardoso, Fernando Luiz
Resumo: O presente estudo objetivou avaliar a influência da lesão medular na Prática, Orientação, Satisfação e Resposta sexuais de homens e mulheres (Estudo 1) e também avaliar o nível de conhecimento, atitude, aproximação e conforto de profissionais da saúde sobre a reabilitação sexual na lesão medular (Estudo 2). No estudo 1 participaram 144 sujeitos (110 homens e 34 mulheres) com lesão medular traumática. Já no estudo 2, participaram 132 sujeitos (34 homens e 98 mulheres), sendo que destes, 33 fisioterapeutas, 36 psicólogos, 32 médicos e 31 enfermeiros. Foram utilizados dois intrumentos: o Questionário de Sexualidade Humana na Lesão Medular (QSH-LM) para o estudo 1, e a Escala de Sexualidade para Conhecimento, Conforto, Aproximação e Atitudes (KCAASS) para o estudo 2. Para cumprir os objetivos propostos nos dois estudos, utilizou-se os seguintes testes estatísticos: Teste t para amostras independentes; Teste U de Mann-Whitney; Teste de correlação de Spearman e Teste Kruskal-Wallis. Em nossos achados houve diminuição da satisfação sexual em homens e mulheres após a lesão medular, porém nos homens, essa diminuição foi significativa estatisticamente. O desejo sexual dos homens foi afetado negativamente, pois entre eles houve diminuição após a lesão. Já entre as mulheres houve incremento do desejo. A lubrificação vaginal, o tempo de lubrificação, a ereção peniana, o tempo de ereção e a ejaculação também diminuíram após a lesão. Vimos que nos homens o orgasmo, a intensidade do orgasmo e ainda a excitação sexual diminuíram significativamente após a lesão. O exercício físico não gerou diferença nas variáveis da sexualidade. O aconselhamento sexual em nível adequado atingiu poucas pessoas. Por fim, vimos que os profissionais da saúde, embora lidem freqüentemente com questões da sexualidade, não estão preparados devidamente para isso. Não importa se em relação ao conforto, à abordagem, ao conhecimento ou ainda à atitude, precisam de incremento.
Abstract: This study aimed to assess the influence of spinal cord injury in the Sexual Practice, Sexual Orientation, Sexual Satisfaction and Sexual Response of men and women (Study 1). It also aimed to assess the level of knowledge, attitude, approximation and comfort of health professionals concerning sexual rehabilitation within the spinal cord injury (Study 2). Study 1 involved 144 subjects (110 men and 34 women) with traumatic spinal cord injury. Study 2 involved 132 subjects (34 men and 98 women): 33 physiotherapists, 36 psychologists, 32 physicians and 31 nurses. Two instruments were used: the Questionnaire of Human Sexuality in Spinal Cord Injury (QSH-LM) to Study 1, and the Knowledge, Comfort, Approach and Attitudes towards Sexuality Scale (KCAASS) for the Study 2. To meet Study 1 and Study 2 objectives, the following statistical tests were used: t test for independent samples; Mann-Whitney U test; Spearman s Rank Correlation test and Kruskal-Wallis test. In our findings there was a decrease in sexual satisfaction in men and women after the spinal cord injury, but in men this decrease was statistically significant. Men s sexual desire was affected negatively, because between them there was a decrease after the injury. Among women there was an increase of desire. Vaginal lubrication, lubrication timing, penile erection, erection timing and ejaculation also decreased after injury. We saw that in men the orgasm, the orgasm intensity and the sexual arousal decreased significantly after the injury. Physical exercise generated no difference in the variables of sexuality. Sexual counseling at an appropriate level reached few people. Finally, we saw that health professionals, although dealing frequently with issues of sexuality, are not properly prepared for that. Whether in relation to comfort, approach, knowledge or attitude, need to increase.
Palavras-chave: sexualidade humana
lesão medular
reabilitação sexual
human sexuality
spinal cord injury
sexual rehabilitation
Área(s) do CNPq: CNPQ::CIENCIAS DA SAUDE::EDUCACAO FISICA
Idioma: por
País: BR
Instituição: Universidade do Estado de Santa Catarina
Sigla da instituição: UDESC
Departamento: Ciência do Movimento Humano
Programa: Mestrado em Ciências do Movimento Humano
Citação: BAASCH, Aline Knepper Mendes. Sexuality in spinal cord injury. 2008. 267 f. Dissertação (Mestrado em Ciência do Movimento Humano) - Universidade do Estado de Santa Catarina, Florianópolis, 2008.
Tipo de acesso: Acesso Aberto
URI: http://tede.udesc.br/handle/handle/423
Data de defesa: 22-Ago-2008
Aparece nas coleções:Mestrado em Ciências do Movimento Humano

Arquivos associados a este item:
Arquivo TamanhoFormato 
Aline Baasch.pdf1,99 MBAdobe PDFBaixar/Abrir Pré-Visualizar


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.