Exportar este item: EndNote BibTex

Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://tede.udesc.br/handle/handle/364
Tipo do documento: Dissertação
Título: Controle motor, dor e depressão em mulheres com síndrome da fibromialgia
Título(s) alternativo(s): Motor control, pain and depression in women with fibromyalgia syndrome
Autor: Sanches, Sabrina de Oliveira 
Primeiro orientador: Andrade, Alexandro
Resumo: Este estudo objetivou investigar a relação entre controle motor, dor e depressão em mulheres com síndrome de fibromialgia (SFM). Participaram desta pesquisa 28 mulheres com idade média de 47 anos e diagnóstico clínico de SFM. Para a caracterização da amostra foi utilizado o Questionário Sócio-demográfico e Clínico (KONRAD, 2005) adaptado para esta pesquisa. A avaliação das características da dor foi feita por meio dos itens III e IV do Questionário McGill de Dor adaptado por Castro (1999). O Inventário de Depressão de Beck (BECK, RUSH e SHAW, 1961) foi utilizado para mensurar a percepção de sintomas depressivos. O controle motor foi avaliado por meio do Software de avaliação da aprendizagem e controle de habilidades motoras finas (ANDRADE et al., 2003) e do Software de avaliação do tempo de reação (ANDRADE et al., 2002). Os dados foram tratados com estatística descritiva (média, freqüência e desvio padrão) e inferencial (correlação de Pearson e Spearman e teste de Mann- Whitney). Foram encontradas correlações positivas entre a percepção de sintomas depressivos e a percepção geral da dor (r= 0,530, p=0,004) e entre a percepção de sintomas depressivos e as dimensões da dor: afetiva (r=0,649, p<0,001), subjetiva (r=0,529, p=0,004) e mista (r=0,431, p=0,022). Identificou-se correlação positiva entre a avaliação sensorial da dor e a quantidade de erro apresentada pelas participantes na última subtarefa do teste de avaliação do controle de habilidades motoras finas (r=0,383, p=0,044). As mulheres que queixaram-se de dor durante a avaliação do controle de habilidades motoras finas apresentaram resultados significativamente piores nas três subtarefas do teste, se comparadas aquelas que não relataram dor (1ª. subtarefa, p= 0,004; 2ª. subtarefa, p=0,037 e 3ª. subtarefa, p=0,001). Verificou-se correlações positivas entre a percepção de sintomas depressivos e o desempenho no TR simples com estímulo visual (r=0,527, p=0,004), no TR simples com estímulo auditivo ( r=0,604, p=0,001) e no TR de discriminação (r=0,419, p=0,026). Não ocorreu correlação significativa entre a percepção de sintomas depressivos e o desempenho nas habilidades motoras finas. Tais resultados indicam que os sintomas de dor e depressão podem comprometer o controle motor de mulheres fibromiálgicas de diferentes maneiras: os sintomas depressivos podem estar associados à diminuição da velocidade do processamento de informação, enquanto a sensação de dor pode comprometer o desempenho de mulheres com SFM em habilidades motoras finas.
Abstract: This study aimed to identify the relation between pain, depression and motor control in women with FMS. Twenty-eight women with mean age of 47 years (SD=11,4) and clinical diagnosis of FMS were evaluated. The characteristics of the sample were assessed by Clinical and Social-demographic Questionnaire (KONRAD, 2005) adapted for this research. The perception of depressive symptoms was identified through the Beck Depression Inventory (BECK, RUSH and SHAW, 1961). The assessment of pain characteristics was identified through the items III and IV of the McGill Pain Questionnaire adapted by Castro (1999). The motor control was evaluated through the Reaction Time Assessment Software developed by Andrade et al. (2002) and the Learning and Fine Motor Control Assessment Software (ANDRADE et al. 2003). The data was treated by descriptive statistics (mean, frequency and standard deviation) and inference (Pearson and Spearman correlations and Mann-Whitney test). It was verified positive correlation between overall pain perception and perception of depressive symptoms (r= 0,530, p=0,004) and between perception of depressive symptoms and pain dimensions: affective (r=0,649, p=0,000), subjective (r=0,529, p=0,004) and mixed (r=0,431, p=0,022). It was identified correlation between sensory pain and performance in the last task of the fine motor skills control evaluation (r=0,383, p=0,044). Women who reported pain during the fine motor skills evaluation showed worse performance in this task when compared to women who did not report pain (1st. subtask, p= 0,004; 2nd. Subtask, p=0,037 e 3rd. subtask, p=0,001). The perception of depressive symptoms was also correlated with simple visual RT (r=0,527, p=0,004), simple auditory RT (r=0,604, p=0,001) and discriminative RT (r=0,419, p=0,026). There was no correlation between perception of depressive symptoms and fine motor skills performance. Such results indicate that pain and depression can impair the motor control of these women from two ways: depression can impair the speed processing of information and pain can impair the fine motor skills performance of the women with FMS.
Palavras-chave: controle motor
dor
depressão
fibromialgia
capacidade motora
motor control
pain
depression
fibromyalgia
motor ability
Área(s) do CNPq: CNPQ::CIENCIAS DA SAUDE::EDUCACAO FISICA
Idioma: por
País: BR
Instituição: Universidade do Estado de Santa Catarina
Sigla da instituição: UDESC
Departamento: Ciência do Movimento Humano
Programa: Mestrado em Ciências do Movimento Humano
Citação: SANCHES, Sabrina de Oliveira. Motor control, pain and depression in women with fibromyalgia syndrome. 2007. 131 f. Dissertação (Mestrado em Ciência do Movimento Humano) - Universidade do Estado de Santa Catarina, Florianópolis, 2007.
Tipo de acesso: Acesso Aberto
URI: http://tede.udesc.br/handle/handle/364
Data de defesa: 8-Mar-2007
Aparece nas coleções:Mestrado em Ciências do Movimento Humano

Arquivos associados a este item:
Arquivo TamanhoFormato 
dissertacao sabrina de oliveira sanches_udesc.pdf654,61 kBAdobe PDFBaixar/Abrir Pré-Visualizar


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.