Exportar este item: EndNote BibTex

Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://tede.udesc.br/handle/handle/252
Tipo do documento: Dissertação
Título: Efeitos dos exercícios físicos sobre a dor, humor, depressão, qualidade de vida e sono de pacientes com síndrome da fibromialgia
Título(s) alternativo(s): Effects of physical exercise on pain, mood, depression, quality of life and sleep of patients with fibromyalgia syndrome
Autor: Steffens, Ricardo de Azevedo Klumb 
Primeiro orientador: Andrade, Alexandro
Resumo: A síndrome da fibromialgia (SFM) é caracterizada pela ocorrência de dor músculo-esquelética crônica generalizada, pontos dolorosos e sintomas como rigidez, fadiga e distúrbios do sono. Os exercícios físicos tem mostrado resultados positivos no tratamento da SFM, pois apresentam um efeito analgésico, proporcionando bem-estar às pacientes. O objetivo deste estudo foi revisar a literatura sobre a relação da prática de exercícios físicos com os sintomas da SFM e verificar os efeitos de um programa estruturado dos exercícios físicos musculação, caminhada e alongamento sobre a dor, humor, depressão, qualidade de vida e sono de pacientes com SFM. Participaram desta pesquisa 31 pacientes com diagnóstico clínico de SFM: 7 no grupo musculação, 8 no grupo caminhada, 7 no grupo alongamento e 9 no grupo controle. Para caracterização do perfil dos participantes foi utilizado o Questionário Sócio-demográfico e Clínico - QSDC (KONRAD, 2005); para a avaliação da intensidade da dor foi utilizada a Escala Visual Analógica - EVA (MARQUES et al., 2006); para mensurar a percepção dos sintomas depressivos foi utilizado o Inventário de Depressão de Beck (GORENSTEIN; ANDRADE, 1996); para avaliar a qualidade do sono foi utilizado o Indice da Qualidade do Sono de Pittsburgh (PSQI) (BUYSSE et al., 1989); para avaliar a qualidade de vida foi utilizado o Questionário Sobre o Impacto da Fibromialgia (QIF); para avaliar o humor foi utilizada a Escala de Humor de Brunel (BRUMS) (ROHLFS et al., 2006). As variáveis foram coletadas antes da 1ª sessão de exercícios físicos e uma vez a cada mês durante o programa de musculação, caminhada e alongamento. Os dados foram tratados com estatística descritiva (média, frequência e desvio padrão) e inferencial (teste de Shapiro-wilk, Wilcoxon, Teste t de Student pareado). Após 12 semanas de prática de musculação os participantes apresentaram diminuição significativa na dor (p=0,046), na depressão (p=0,004) e no impacto da SFM na qualidade de vida (p=0,011) e melhoraram o estado de humor na tensão (p=0,042), na depressão (p=0,000) e na fadiga (p=0,011). Após 12 semanas de prática de caminhada os participantes apresentaram diminuição significativa do impacto da SFM na qualidade de vida (p=0,012) e após 12 semanas de prática de alongamento melhorou a qualidade do sono (p=0,014) e diminuiu o vigor no estado de humor (p=0,033). No grupo controle ocorreu o aumento da raiva no estado de humor (p=0,041) após 12 semanas. Concluiu-se que os exercícios físicos melhoram o bem estar em pacientes com SFM e são também eficazes na redução dos pontos de dor, diminuição da depressão e melhora da qualidade de vida desta população. Após 12 semanas de prática dos exercícios ocorreram as seguintes alterações: no grupo musculação diminuiu a dor, a depressão e o impacto da SFM na qualidade de vida e melhorou o humor (tensão, depressão e fadiga); no grupo caminhada diminuiu o impacto da SFM na qualidade de vida e no grupo alongamento melhorou a qualidade do sono e diminuiu o vigor no estado de humor. No grupo controle após 12 semanas do estudo aumentou a raiva no estado de humor.
Abstract: The fibromyalgia syndrome (FMS) is characterized by the occurrence of chronic musculoskeletal pain generalized, tender points and symptoms such as stiffness, fatigue and sleep disorders. The physical exercises have shown positive results in the treatment of SFM, because they have an analgesic effect, providing wellness to patients. The aim of this study was to review literature on the relationship of physical exercises with the symptoms of FMS and verify the effects of a structured program of physical exercises strength, walking and stretching on pain, mood, depression, quality of life and sleep of patients with FMS. Participated in this study 31 patients with clinical diagnosis of FMS: 7 in the strength group, 8 in the walking group, 7 in the stretching group and 9 in the control group. To characterize the profile of the participantes was used the Questionnaire Socio-demographic and clinical-QSDC (KONRAD, 2005); for the evaluation of pain intensity was used Visual Analogue Scale EVA (MARQUES et al., 2006); to measure the perception of depressive symptoms we used the Beck Depression Inventory (GORENSTEIN; ANDRADE, 1996); to assess the quality of sleep was used to index the Pittsburgh Sleep Quality (PSQI) (BUYSSE et al., 1989); to assess the quality of life we used the Questionnaire about Fibromyalgia Impact (QIF); to assess the mood was used Brunel Mood Scale (BRUMS) (ROHLFS et al., 2006). The variables were collected before the first session of physical exercises and once every month during the program of strength, walking and stretching. The data were treated using descriptive statistics (mean, frequency and standard deviation) and inferential (Shapiro-Wilk test, Wilcoxon, paired Student t test). After 12 weeks of practice of strength the participants showed a significant decrease in pain (p=0,046), depression (p=0,004) and the impact of FMS on quality of life (p=0,011) and improved the mood state in tension (p=0,042), depression (p=0,000) and fatigue (p=0,011). After 12 weeks of practice of walk the participants showed a significant decrease of the impact of FMS on quality of life (p=0,012) and after 12 weeks of practice of stretching improved sleep quality (p=0,014) and decreased vigor in the mood (p=0,033). In the control group there was an increase of ranger in the mood state (p=0,041) after 12 weeks. It was concluded that physical exercises improves the welness in patients with FMS and are also effective in reducing tender points, decreased depression and improved quality of life in this population. After 12 weeks of practical exercises ocurred the following changes: in the strength group decreased pain, depression and the impact of FMS on quality of life and improved mood (tension, depression and fatigue); in walk group decreased of the impact of FMS on quality of life and the stretching group improved sleep quality and decreased vigor in the mood state. In the control group after 12 weeks of the study increased anger in the mood state.
Palavras-chave: exercício
dor
depressão
qualidade de vida
fibromialgia
exercise
pain
depression
quality of life
fibromyalgia
Área(s) do CNPq: CNPQ::CIENCIAS DA SAUDE::EDUCACAO FISICA
Idioma: por
País: BR
Instituição: Universidade do Estado de Santa Catarina
Sigla da instituição: UDESC
Departamento: Ciência do Movimento Humano
Programa: Mestrado em Ciências do Movimento Humano
Citação: STEFFENS, Ricardo de Azevedo Klumb. Effects of physical exercise on pain, mood, depression, quality of life and sleep of patients with fibromyalgia syndrome. 2012. 112 f. Dissertação (Mestrado em Ciência do Movimento Humano) - Universidade do Estado de Santa Catarina, Florianópolis, 2012.
Tipo de acesso: Acesso Aberto
URI: http://tede.udesc.br/handle/handle/252
Data de defesa: 1-Mar-2012
Aparece nas coleções:Mestrado em Ciências do Movimento Humano

Arquivos associados a este item:
Arquivo TamanhoFormato 
Ricardo Steffens.pdf1,47 MBAdobe PDFBaixar/Abrir Pré-Visualizar


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.